O que é dispareunia? Qual é a conexão entre dispareunia e vaginismo?

O que é dispareunia? Qual é a conexão entre dispareunia e vaginismo?

 

Qualquer tipo de dispareunia (dor sexual geral) pode desencadear o vaginismo (dor sexual contínua ou problema com a penetração devido a espasmos vaginais involuntários).

 

Dispareunia

A dispareunia é um termo médico que simplesmente significa “intercurso sexual doloroso”. É um termo geral usado para descrever todos os tipos de dor sexual. A dor sexual pode ocorrer durante a penetração, o intercurso sexual e/ou depois do intercurso sexual. Ela pode existir em qualquer parte da área genital—o clitóris, os lábios ou a vagina, etc. A dor pode ser descrita como aguda, ardente, apertada ou de outras maneiras.

 

A conexão entre dispareunia e vaginismo

Existem muitas causas de dor sexual (dispareunia) e o vaginismo é uma delas. O vaginismo é caracterizado por espasmos involuntários da vagina devido ao músculo pubococcígeo (PC). Com tentativas de intercurso sexual, o espasmo vaginal pode causar desconforto sexual, sensações de ardência, contrações, dor ou incapacidade de penetração.

O vaginismo também está relacionado a qualquer uma das outras formas de dispareunia porque qualquer tipo de dor sexual geral pode desencadear o vaginismo. Nestes casos, o vaginismo se torna uma disfunção de dor ou de desconforto complicado além do problema de dor original e geralmente permanece mesmo depois do problema original ter sido resolvido. Na verdade, uma mulher pode confundir os problemas contínuos do vaginismo com o problema de dor original, acreditando que o problema original ainda não está resolvido.

“Com qualquer tipo de dor sexual contínua e que parece não ter nenhuma causa física, o vaginismo deve ser considerado como um contribuinte possível ou talvez a causa primária.”

Diagnosticar e tratar a dor sexual pode ser bem difícil quando existem outras complicações do vaginismo. Pode ser frustrante para os médicos e as pacientes. Por exemplo, uma mulher que teve uma infecção temporária (uma forma de dispareunia) que desencadeou o vaginismo. Até ela fazer a consulta com um médico, a infecção já se resolveu mas o vaginismo permanece. Quando o médico tenta descobrir a fonte da dor, pode parecer que não há evidência de causa física, porque a paciente continua a sentir dor do vaginismo e não mais a dor da infecção original. Além disso, a descrição da dor por parte da mulher pode ser confusa porque haviam duas questões separadas que causavam a dor em momentos diferentes.

Onde existem duas formas de dor sexual presentes ao mesmo tempo e a segunda é o vaginismo, a maioria dos especialistas recomenda tratar primeiramente a condição médica original e depois tomar as medidas necessárias para tratar o vaginismo.

Atenção: Alguns médicos e suas pacientes acham que as cirurgias e os procedimentos médicos são necessários quando, na verdade, um simples caso de vaginismo está presente e pode ser resolvido sem nenhum procedimento invasivo. As pacientes devem obter segundas opiniões com médicos que têm experiência no tratamento de disfunções de dor sexual na mulher, especialmente se estiverem pensando em opções de tratamento cirúrgico invasivo. O tratamento do vaginismo normalmente não envolve cirurgia.

 

Causas Possíveis De Sexo Doloroso (Dispareunia)

  • Vulvodínia/Vestibulodinia (Vestibulite Vulvar ou Vestibulite)
  • Doença inflamatória pélvica (DIP)
  • Tumores genitais ou pélvicos
  • Cistos no ovário
  • Uretrite
  • Infecção do trato urinário
  • Cistite intersticial
  • Atrofia Vaginal (vaginite atrófica)
  • Secura vaginal
  • Lubrificação vaginal insuficiente
  • Trauma de parto (pós-parto)
  • Câncer de Vulva
  • Terapia por radiação
  • Infecções Vaginais/Irritações – Bacteriana ou candidíase, algumas DSTs, etc.
  • Doenças de pele – líquen escleroso, líquen plano, eczema, psoríase
  • Efeitos colaterais de alguns medicamentos
  • Ferimento na área pélvica/genital
  • Sintomas relacionados à idade e associados com a menopausa e/ou envelhecimento
  • Reações alérgicas a roupas, preservativos, espumas anticoncepcionais e/ou espermicidas
  • Exame pélvico doloroso
  • Trauma devido a estupro
  • Mutilação genital feminina (MGF)
  • Cisto das glândulas de Bartholin
  • Endometriose

É importante observar que o vaginismo pode co-existir com estas condições acima ou continuar a estar presente mesmo depois que a condição médica tenha sido resolvida.


 

Veja Também

Pin It on Pinterest

Share This