Quantas mulheres têm vaginismo?

Quantas mulheres têm vaginismo?

 

Aproximadamente 2 mulheres em 1000 têm vaginismo.

Acredita-se que cerca de 2 mulheres em 1000 têm vaginismo. No entanto, este número pode ser mais alto. A obtenção de dados estatísticos de confiança sobre o vaginismo é difícil devido a muitos fatores como, por exemplo:

  • Por causa da vergonha e do constrangimento, muitas mulheres não procuram ajuda.
  • Algumas mulheres recebem um diagnóstico incorreto e nunca têm o tratamento adequado (e portanto não entram na estatística). Infelizmente, algumas se entregam à uma vida desprovida de um relacionamento sexual por pensarem, erroneamente, que elas não podem ser ajudadas.
  • Os provedores de saúde normalmente não mantêm dados estatísticos das mulheres que especificamente procuram ajuda devido a problemas de penetração vaginal.

 

Dados Estatísticos Do Vaginismo

  • “Estima-se que aproximadamente 0,17 por cento de mulheres entre quinze e sessenta e quatro anos (mais do que 27.200) no Reino Unido tem vaginismo.”¹
  • “Há uma incidência maior (0,49 por cento) [de vaginismo] entre mulheres entre quinze e vinte e quatro anos, representando o período normal da vida de uma mulher quando ela tenta intercurso sexual pela primeira vez.”¹
  • “Aproximadamente 20 por cento das mulheres que procuram ajuda no Masters & Johnson Institute … têm um grau demonstrável de vaginismo.”¹
  • “Na minha própria pesquisa com pacientes da minha clínica, a ocorrência de vaginismo é de aproximadamente dois por cento. No entanto, se eu fosse ginecologista e oferecesse terapia do sexo, eu não teria dúvida que seria muito mais alto, talvez quatro por cento.” – Dr. Harold I. Lief da Universidade da Pensilvânia¹
  • “Aproximadamente quarenta por cento das mulheres que atendemos aqui têm vaginismo.” – Dr. Marian E. Dunn, Ph.D., diretora do Centro de Sexualidade Humana da Universidade Estadual de Nova York, em Brooklyn¹
  • Dr. Domeena Renshaw, M.D., diretor da Clínica de Disfunção Sexual da Universidade de Layola em Chicago, afirma que a taxa de incidência de vaginismo da clínica é de 7 por cento, da qual cerca de um terço tem uma base física remediável.¹
  • “Um estudo revela que mulheres de todas as idades têm, estatisticamente, um risco maior de desenvolver vaginismo do que procurar um aborto.”¹
  • “Um médico especialista em problemas sexuais estima que o vaginismo ocorre em aproximadamente 5 em 1000 casamentos na Irlanda.”¹
  • “Uma outra pesquisa revela que 16 em cada 100 mulheres que consultam uma clínica de controle de natalidade têm vaginismo.”¹
  • “Do número total de diagnósticos feitos num período de três anos nas clínicas de terapia sexual do Relate Marriage Guidance (uma clínica nacional que oferece terapia de casal), aproximadamente 7 por cento dos diagnósticos eram de vaginismo. No mesmo período, cerca de 300 casos de problemas relacionados a orgasmos foram atendidos, comparados com aproximadamente 150 a 200 casos de vaginismo.”¹
  • “Qual é o status familiar da paciente com vaginismo? [conforme visto numa clínica particular nos EUA]
    • 47% são solteiras ou têm namorado
    • 53% são casadas, desde a alguns meses até mais de 30 anos.”²
  • “Qual é a idade da típica paciente com vaginismo? [conforme visto numa clínica particular nos EUA]
    • 18% têm idade inferior a 25 anos. Esta porcentagem poderia ser mais alta se a disfunção fosse melhor entendida e diagnostica corretamente numa idade mais jovem.
    • 53% têm idades entre 26 e 35
    • 26% têm idades entre 36 e 50, na maior parte inclui mulheres que casaram mais tarde na vida ou aquelas que estavam em casamentos não consumados por muitos anos, sofrendo em silêncio antes de procurar ajuda.
    • 9% têm mais de 51 anos”²

 

Referências

  1. Valins, L. (1992). When a woman’s body says no to sex: Understanding and overcoming vaginismus. New York, NY: Penguin Books. P.23,24
  2. Katz, D., & Tabisel, R. (2002). Private pain: It’s about life, not just sex. Plainview, NY: Katz-Tabi Publications. P.70,71

 

Veja Também

Pin It on Pinterest

Share This