Como o vaginismo afeta maridos ou namorados de mulheres com vaginismo?

Como o vaginismo afeta maridos ou namorados de mulheres com vaginismo?

 

Os problemas sexuais devido ao vaginismo podem afetar negativamente todos os aspectos de um relacionamento. A superação do vaginismo junto com o parceiro pode aprofundar e fortalecer os laços do casal e proporcionar uma renovação ao casamento.

Embora as mulheres sintam as consequências do vaginismo da maneira mais aguda e direta, é importante reconhecer que seus parceiros também sentem diversos impactos. À medida que a tortura do vaginismo não tratado dura semanas, meses ou anos antes de soluções serem encontradas, as frustrações aumentam e o relacionamento passa por uma grande tensão. Os impactos do vaginismo nos homens criam dificuldades únicas porque eles geralmente se sentem impotentes e nas mãos de uma situação na qual eles não têm controle. Algumas emoções típicas que o parceiro poderá ter:

  • Rejeição – “Estou muito cansado de ser rejeitado o tempo todo. O que há de errado comigo que a minha esposa não quer nenhum tipo de relacionamento sexual comigo? Primeiramente, o único problema era não conseguir ter intercurso sexual, mas agora ela não me quer de jeito nenhum. Isso tudo me faz sentir não reconhecido.”
  • Empatia – “A minha esposa ficaria arrasada se alguém descobrisse isso. Eu me sinto tão mal por ela porque sei que ela está sofrendo muito. Acredito que ela tenha boas intenções e não queira me machucar, mas o problema dela está machucando nós dois. Eu sinto pena dela, mas não tenho a menor ideia do que fazer.”
  • Culpa – “Eu me sinto culpado por querer sexo porque eu sei que é doloroso para ela. Eu não consigo nem olhar para ela quando tentamos fazer sexo porque isso dói para ela e ela fica tentando suportar a dor. Eu tenho ‘necessidades’ normais de homem e não tenho certeza do que devo fazer sobre toda esta frustração. É egoísmo querer estar com a mulher quem eu amo? Eu fiz algo que poderia ter causado isso?”
  • Raiva – “Eu admito que, como marido, nem sempre dei muito apoio à minha esposa. Sinto muita raiva da situação, raiva das pessoas que podem fazer sexo e sinto raiva em geral. Deixa-me louco da vida quando ela me rejeita ou ignora as minhas tentativas de aproximação. Quando eu percebo que não é culpa dela, não direciono a minha raiva à ela, mas fico com raiva por dentro.”
  • Frustração – “Estou tentando o melhor possível para ver o lado dela da situação. Mas, e eu? Eu também tenho sentimentos! Tudo o que eu quero é sentir a conexão emocional que o sexo deve proporcionar. É pedir demais?”
  • Confusão – “Eu não entendo! Eu sempre achei que a minha noite de núpcias seria a melhor noite da minha vida, mas quando chegou a hora … nada. Agora, um ano depois, ainda não fizemos sexo. Os médicos dizem que não há nada de errado com a minha esposa. O que podemos fazer?”
  • Medo – “Não sei quanto tempo eu posso aguentar isso. Ou seja, eu amo muito a minha esposa, mas paciência tem hora! Eu não quero viver eternamente num relacionamento sem sexo. Queremos filhos e agora acho que isso também não vai acontecer. Como será o meu futuro se isto continuar?”
  • Distanciamento – “A minha vida em casa é uma confusão e eu nem quero ver a minha esposa agora. É melhor colocar todo o meu tempo no meu trabalho ou com meus amigos. Pelo menos eles me reconhecem e se estou ocupado, não tenho que pensar sobre a situação em casa.”

É importante que os parceiros entendam que o vaginismo não é algo que a mulher intencionalmente causou para evitar o sexo. A contração do músculo PC que causa o fechamento da abertura vaginal é uma reação inconsciente, a qual é involuntária e acontece sem o controle ou a intenção da mulher.

Embora a mulher possa querer muito ter intercurso sexual, existe uma “desconexão” entre a mente e o corpo que faz com que o músculo PC entre em espasmo. Existem muitos fatores emocionais e físicos que podem contribuir para o vaginismo. Os fatores emocionais, como o medo da penetração (não comum em todos os tipos de vaginismo), afetarão algumas mulheres com vaginismo. Nestes casos, é importante que a mulher entenda e supere o medo e os pensamentos negativos sobre o sexo. O registro emocional auto-conduzido incluído no programa de auto-ajuda ajuda a mulher a chegar na raiz destes fatores e a substitui-los por sentimentos sexuais positivos.

Não é raro que os homens guardem suas emoções para eles mesmos e neguem a raiva, a frustração e o estresse associados com um relacionamento não consumado. Em geral, os homens sentem que eles não podem se abrir com ninguém sobre a situação em que se encontram. Eles também podem estar preocupados que isso machucaria a esposa se alguém soubesse do “pequeno segredo” deles e acabam vivendo com sentimentos de ressentimento e tristeza—tanto ele quanto ela.

Infelizmente, muitos casais param de ter momentos de intimidade por causa da dor e da frustração do fracasso das tentativas de intercurso sexual. O conflito é comum e as questões de relacionamento podem continuar a piorar enquanto o vaginismo permanecer sem tratamento. A falha na comunicação pode ocorrer quando cada um vira para o outro lado da cama ou dormem em camas separadas.

Além do vaginismo, um casal também pode ter que lidar com o problema médico, a cirurgia ou o ataque que possivelmente desencadeou o problema, e isso potencialmente poderá causar ainda mais tensão no relacionamento.

 

Existe Uma Solução

Em geral, quando é feito um diagnóstico e inicia-se um processo de tratamento, há uma redução no nível geral de estresse do casal. Muitos casais, após o tratamento do vaginismo, sentem que estão mais próximos emocionalmente, que a comunicação melhorou e não subestimam o relacionamento sexual ou o parceiro.


 

Veja Também

Pin It on Pinterest

Share This