O parto normal pode causar o vaginismo? Como posso prevenir isso?

O parto normal pode causar o vaginismo? Como posso prevenir isso?

 

As dores temporárias do parto podem desencadear a dor sexual contínua do vaginismo.

Felizmente, o vaginismo não é um resultado normal do parto natural. No entanto, se uma mulher passou por trauma físico ou emocional durante o processo de parto, a condição de vaginismo pode ser desencadeada.

A relação sexual após o parto pode ser dolorosa ou desconfortável devido a contusões vaginais temporárias, procedimentos como episiotomias, laceração do períneo, tentativas de relação sexual antes da cura estar completa, e/ou secura vaginal devido a alterações hormonais/amamentação. É normal sentir um pouco de sensibilidade vaginal no início da relação sexual. No entanto, as frequentes dificuldades de penetração devem ser investigadas mais a fundo e podem ser devido ao vaginismo.

Uma vez desencadeado, o vaginismo faz o corpo contrair o assoalho pélvico durante a tentativa de penetração, tornando a relação sexual inevitavelmente difícil. Quando as tentativas de relações sexuais resultam em dor e insucesso, o corpo reage ainda mais fortemente, consolidando ainda mais o efeito do vaginismo. Isto é algumas vezes chamado de ciclo da dor, porque ele evolui para uma experiência cada vez pior. Quanto mais rápido os sintomas do vaginismo forem diagnosticados e tratados, mais fácil eles serão resolvidos.

Quanto mais a reação de dor do vaginismo persistir, mais intensa será a contração dos músculos. Eventualmente, uma simples penetração pode se tornar impossível (observe também que as dificuldades com a penetração podem surgir imediatamente). Por este motivo, o quanto antes os sintomas do vaginismo forem diagnosticados e tratados, mais fácil será de serem resolvidos.

 

Reduzir a probabilidade de desenvolver vaginismo pós-natal após o parto

Existem diversas coisas que podem ser feitas para ajudar a reduzir as chances de ter vaginismo após o parto, e para ajudar a fazer do recomeço do intercurso sexual uma experiência positiva:

  1. Para ajudar a reduzir ansiedades desequilibradas ou medos de “antecipação da dor”, evite ouvir ou focar-se em histórias de parto difícil. Discuta medos ou preocupações com parteiras, enfermeiros ou médicos. Instrua-se e obtenha conhecimento sobre o processo do parto.
  2. Para ajudar a reduzir ansiedades desequilibradas ou medos de “antecipação da dor”, evite ouvir ou focar-se em histórias de parto difícil. Se os medos da dor de parto avultam, lembre-se que as injeções epidurais e outras intervenções de alívio da dor estão geralmente disponíveis, se desejar. Consulte um médico para estabelecer estratégias de gerenciamento da dor, caso isso seja necessário.
  3. Mantenha uma atitude positiva. Pensamentos como “mulheres passam pelo processo de parto todos os dias” e “Se elas conseguem, eu também vou conseguir!” ajuda a afastar pensamentos negativos.
  4. A menos que o médico aconselhe de maneira diferente, continue a fazer sexo durante toda a gravidez.
  5. Depois do parto, aguarde 6 semanas, conforme recomendado pela maioria dos médicos, para voltar a ter intercurso sexual—isto é importante porque permite que o canal vaginal se recupere de modo que nenhuma dor física seja sentida inicialmente na transição de volta ao intercurso sexual após o parto.
  6. Vá devagar—a primeira vez que fizer sexo depois do parto deve ser relaxado e com movimentos lentos.
  7. Lubrifique bastante a área vaginal porque existem mudanças hormonais depois da gravidez, especialmente se estiver amamentando, e isso pode causar secura vaginal.
  8. Não fique surpresa se o sexo inicialmente parecer diferente que antes. O estresse emocional e a fatiga devido às demandas de ser mãe, juntamente com flutuações hormonais, podem fazer com que a mulher se sinta menos sensual. Além disso, fazer a transição de mãe para amante pode levar algum tempo.
  9. Consulte um médico imediatamente se houver qualquer dor pélvica após o parto com o intuito de evitar o desencadeamento do vaginismo. Pode haver a possibilidade de infecção ou de algum outro problema que poderia ser facilmente resolvido sem nenhum efeito a longo prazo.

Para mulheres que superaram o vaginismo antes da gravidez, geralmente existe uma preocupação que elas possam desenvolver vaginismo novamente após o parto. Felizmente, com as habilidades aprendidas durante o tratamento do vaginismo, qualquer trauma pélvico sentido durante o parto que poderia potencialmente desencadear um vaginismo secundário deve ter uma resolução relativamente rápida. Embora cada pessoa seja diferente, de um modo geral, o processo de superação do vaginismo se tornará uma habilidade para o resto da vida, proporcionando uma resolução sem dor a longo prazo do problema.


 

Veja Também

Pin It on Pinterest

Share This